quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A vida passa rápida ou passa rápido?

“Lembre-se: a vida passa muito rápida.”

Adjetivos concordam em gênero e número com os substantivos a que se referem. Isso é verdade, sem dúvida, mas há casos em que o adjetivo funciona como um advérbio e, como tal, permanece invariável.

Muito bem. Para entender essa questão, é preciso observar as relações entre os termos de uma oração (ou mesmo de um texto). No caso em questão, será que “rápido” é uma característica da vida ou será que é o modo como ela passa? A resposta a essa pergunta é a chave do problema.

Se não concordássemos com a referida afirmação, poderíamos dizer que “a vida passa lentamente, vagarosamente, devagar” – o que fizemos aqui foi substituir “rápido” por uma série de... advérbios! Também poderíamos dizer que “a vida passa rapidamente”.
Ora, sendo assim, o adjetivo “rápido” funciona na construção como um advérbio, portanto não se flexiona. “Rápido” é o modo como a vida passa. Sintaticamente a palavra modifica o verbo “passar”, não o substantivo “vida”.

É exatamente esse tipo de construção – bastante comum na língua falada – que ocorre quando dizemos que “certas pessoas falam alto”, que “outras falam baixo” e por aí afora. A fertilidade desse tipo de estrutura é tal que foi empregada num popular anúncio publicitário de certa marca de cerveja, em que se afirmava que a referida cerveja “descia redondo” –  ela não desce “redonda”, certo? A ideia era dizer que a bebida “desce” de maneira redonda, suavemente.

Então, fica a lição: adjetivos adverbializados permanecem invariáveis (no masculino singular). Veja abaixo a correção:

Lembre-se: a vida passa muito rápido.

Por Thaís Nicoleti, via UOL Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes: