sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Pronome átono no início da frase: sim ou não?

"Me senti envergonhada e traída", diz ex-mulher de Tiger Woods

Acertar a colocação dos pronomes átonos cada vez mais se torna uma tarefa para poucos. É fato que, em muitos casos de colocação pronominal, é visível a defasagem entre o que preceitua a gramática tradicional e o uso espontâneo da língua.

A frase em destaque naturalmente foi traduzida, portanto a colocação pronominal foi uma escolha do redator. O emprego do pronome átono no início das frases é tão comum no português falado no Brasil que, possivelmente, ao traduzir a frase, o redator a escreveu do modo como as nossas celebridades a teriam dito.

Sim, o pronome átono não inicia frases no português formal. Apesar das aventuras de Mário de Andrade nesse campo (vale a pena observar a colocação dos pronomes em “Amar: Verbo Intransitivo”), a gramática tradicional não incorporou esse tipo de construção. Isso quer dizer, basicamente, que, em textos formais, não cabe esse emprego.

A declaração da modelo traída pelo marido na página dedicada às celebridades é um texto formal? Deixo a pergunta no ar, mas desconfio de que a resposta possa ser negativa.

Uma sugestão intermediária – e aqui uso esse termo para tentar expressar o que seria um ponto médio entre o formal e o coloquial – seria o emprego do pronome reto “eu” no início da frase, o que justificaria a próclise numa construção sem a conotação de coloquialismo e sem a artificialidade da ênclise.

Veja abaixo as duas possibilidades de correção gramatical:
Senti-me envergonhada e traída", diz ex-mulher de Tiger Woods
Eu me senti envergonhada e traída", diz ex-mulher de Tiger Woods

Por Thaís Nicoleti, retirado do UOL Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes: