sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Uso das formas "onde" e "aonde" depende da regência

"Serão 200 km entre Caracollo (no departamento governista de Oruro) e a capital, La Paz, onde devem chegar no dia 20."

O texto tratava da marcha promovida por sindicatos de camponeses e de trabalhadores na Bolívia, onde grupos se mobilizam para exigir da oposição apoio à convocação de um referendo sobre a nova Constituição do país.

Do ponto de vista gramatical, o que dá origem ao comentário de hoje é o emprego da forma "onde". O advérbio "onde", então usado como pronome relativo (liga duas orações), assume diferentes formas, de acordo com a regência do verbo principal da oração a que pertence: onde, aonde e donde (ou de onde).

O lugar em que algo está é substituído por "onde" ("Esta é a casa onde moro/ em que moro"); o lugar a que alguém vai ou chega é substituído por "aonde" ("Estarão em La Paz, aonde devemos chegar no dia 20/ a que devemos chegar..."); o lugar de que alguém vem é substituído pela forma "donde" ("Visitamos a cidade donde ele veio/ de que ele veio"). A forma "donde" é mais comum em Portugal do que no Brasil, onde se prefere a construção "de onde".

No texto em questão, é o verbo "chegar" que rege a preposição "a" que se justapõe ao "onde". Assim:

"Serão 200 km entre Caracollo (no departamento governista de Oruro) e a capital, La Paz, aonde devem chegar no dia 20."


Por Thaís Nicoleti, retirado do site UOLEducação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Recentes: